quinta-feira, 23 de março de 2017

O Bolso da Bombacha 10! Atitude 70! Está muito difícil guardar dinheiro!

Este é o décimo chasque O Bolso da Bombacha, aqui no programa Show da Comunidade e outros programas da grade de programação da Rádio Acácia FM – a
Primeira de Alvorada (RS).
 

Créditos: Valdemar Engroff

O nosso linguajar é o tradicional gauchês, o mesmo que usamos no nosso sítio sobre finanças - O Bolso da Bombacha

É como se estivéssemos ao pé do fogo de chão, tomando um mate ou escutando uma milonga ou então, apreciando o dedilhar de uma cordiona.  

 

Atitude 70! Está muito difícil guardar dinheiro!

 

Bueno! Realmente a grande maioria das pessoas da minha
Porquinho da minha filha Ana Paula
geração vão morrer pobres.


Vão depender do senhor SUS ("seu último suspiro").

Vão se aposentar pelo INSS ("isso nunca será suficiente).

Vão depender dos filhos, genros e noras na velhice pois não estão se preparando para tal e com dinheiro.

Fiquei muito preocupado quando li o chasque (matéria) da jornalista Giane Guerra, que ela publicou no seu sítio "Acerto de Contas", no dia 26 de março do corrente ano. Te convido para leres:

Economizar dinheiro é tarefa difícil para 53% dos brasileiros. As entrevistas foram feitas pelo Targe Grupo Index, do IBOPE Media, e mostram a necessidade de educação financeira. Em 2013, o tema passa a fazer parte do ensino nas escolas públicas e municipais que decidirem pela inclusão da disciplina na grade curricular.

O levantamento mostra também que 36% revelam que nada sabem sobre investimentos e finanças. E ainda: uma em cada quatro pessoas diz ter a tendência de gastar dinheiro sem pensar, enquanto apenas 19% lêem páginas páginas sobre finanças nos jornais.

Bueno! Os especialistas em educação financeira são taxativos, que "desde o recebimento do seu primeiro salário, o vivente deve guardar um percentual deste para fins de aposentadoria complementar". E quanto mais cedo começar com esta meta, menos vai precisar para chegar na idade de se aposentar e com uma ótima reserva financeira (aposentadoria complementar).

Mas, a primeira coisa que os jovens fazem é um cartão de crédito e vão às compras, e por compulsão, vão se endividando e muitos, literalmente entrando em colapso financeiro.

A segunda coisa, é a compra do seu primeiro carro, onde o cálculo é simples mas totalmente errado: "acho que dá pra encarar o valor da prestação", raciocinam. Mas não se lembram de um seguro total, do combustível, da manutenção e da própria desvalorização do veículo. Logo logo estarão endividados também, pois, não existe mágica. Um carro tem custos fixos e constantes e estes só aumentam, dia-a-dia.

Conto nos dedos as pessoas que tem como REGRA fazer compras somente se for à vista (com descontos pleiteados) e se for estritamente necessário o bem em vista a ser comprado.

Conto nos dedos as pessoas que tem CARNÊS em casa, com parcelas mensais, muitas parcelas, mas de investimentos em PREVIDÊNCIA PRIVADA (ou outros investimentos financeiros) para si e para toda a família.

Conto nos dedos pessoas que SE PAGAM PRIMEIRO quando recebem os seus salários, com investimentos financeiros e depois pagam as contas dos outros. (água, luz, telefone, super mercado, posto de combustíveis, etc.)

Também dá pra contar nos dedos as pessoas que NÃO pulam as páginas de economia nos grandes jornais, ou então, que vão a palestras sobre investimentos e educação financeira. Ou ainda, que lêem sítios como O Bolso da Bombacha, Acerto de Contas, Dinheirama, entre outros...

Como li ainda hoje num chasque (postagem) que  "dá pra ficar milionário investindo por quarenta anos", mas se não começar nunca, vai continuar pobre, envelhecer pobre, morrer pobre e pior, vai ao longo de toda a vida falar mal do governo e da falta de sorte....

Portanto, faça um planejamento financeiro. Faça um orçamento doméstico. Pode ser num caderninho dos tempos antigos, das colunas "Deve e Haver", ou então, uma planilha excel no computador, com colunas (data, histórico, entradas, saídas e saldos). Simples. Tão simples que vais te empolgar. E com isso, as torneiras e ralos dos gastos com bobagem vão se fechando e o dinheiro não vai se evaporando e tu vais adquirindo consciência financeira.

Se tu não tens mais idade para encaminhar a tua independência financeira, faça como disse certa feita Gustavo Cerbase numa palestra em Porto Alegre: "se não tens mais tempo de almejar o teu R$ 1.000.000,00, almeje a metade e se isso for impossível também, almeje e vá em busca da metade da metade".  E para relembrar, pois já comentamos aqui em outro chasque (postagem), que "são necessários em torno de R$ 300.000,00 de capital para auferir uma renda em aposentadoria complementar de R$ 1.000,00". Então, mãos à obra gauchada amiga!

Mas abra os caminhos da independência financeira para os teus filhos. Se a tua geração está perdida, a dos teus filhos terá muito mais chances em termos de aposentadoria, quando eles ficarem velhos.

Baita abraço

Valdemar Engroff - o gaúcho taura