sábado, 18 de janeiro de 2014

Momento da Cultura Regional 1! A diferença entre Forró e o Vanerão!

Na semana passada, a direção do CONCEC e seus colaboradores conseguiram colocar a Rádio Acácia FM 87,9 no “quintal” da casa, no mundo, onde agora ela pode ser acessada de qualquer local desta terra em redor do Rio Grande chamada mundo. Basta abrir as porteiras clicando em www.acaciafm.com.br.  

Ao longo de 2013, muitas vezes eu era perguntado por Valmir Gomes, um gaúcho de pura cepa, nascido e criado nos pagos do Rio de Janeiro, que prefere participar da costelada mensal na Casa do Gaúcho daquele Estado do que curtir uma praia ou o carnaval carioca.  A casa do Gaúcho reúne no segundo domingo de cada mês a gauchada desgarrada do Rio Grande e os cariocas e de outros pagos distantes, neste evento típico gaúcho e é capitaneado por José Tadeu Maciel, que é dos pagos de Vacaria, a terra do maior rodeio crioulo do mundo.
Família Gomes: Seu França, D. Josefa, Vera e Valmir
Crédito. Sítio Facebook do Valmir Gomes
Valmir conheceu o Rio Grande quando estudante, por intermédio dos livros, quando teve que fazer um trabalho escolar sobre a cultura gaúcha e por ela se apaixonou. A etapa seguinte foi vir de mala, cuia e mochila nas costas pra Porto Alegre, sem conhecer ninguém, sem ter parentes por aqui, em pleno e efervescente mês de setembro...

Depois disso, ele colocou um sítio no mundo virtual, denominado O Cariucho e o Tradicionalismo, com ênfase de seguir estudando a cultura gaúcha e aprendendo através dos contatos da gauchada do Rio Grande e de outros pagos distantes. Hoje o sítio é um dos mais respeitados e um dos mais visitados fora das fronteiras gaúchas. Visite também. Basta abrir as porteiras clicando em www.ocariucho.com.br

Pois finalmente a Rádio Acácia FM está na Internet. E sábado passado – dia 10 de janeiro, o programa Gritos do Quero-Quero cruzou as fronteiras do Jardim Algarve, em Alvorada / RS, rumo a pagos distantes. O gaúcho Edgar nos escutou em Toronto no Canadá. Temos notícias que nosso programa (e toda a programação da rádio), foi escutado no Japão, em Hamburgo na Alemanha, em várias cidades da região metropolitana e no interior do Rio Grande do Sul, além da família Gomes, nos pagos do Rio de Janeiro.

Os nossos contatos com Valmir Gomes começaram às 8h em ponto, onde ele mencionou via mensagem de celular: 
- Estou na escuta

Em seguida faltou energia e entrou o musical base reserva para quem está escutando na internet. Já ele lascou outra mensagem:
- Tocando rock????

Na resposta, expliquei que ficamos sem luz no estúdio, mas, na internet entra um musical base programado. Outra mensagem dele:
- Manda um alô pra nós. Mas te aviso, pois a mãe foi pra padaria....

Mais uns 20 minutos outra mensagem do Valmir:
- Manda o alô, a mãe voltou.

Depois da penca musical mandamos um oh de casa para os pagos do Rio de Janeiro para os ouvintes da Família Gomes: Valmir, Vera, Seu França e dona Josefa....

Outra mensagem do Valmir:
- A mãe ficou muito faceira com o teu alô....

No dia seguinte, num dos mates pelo Facebock, Valmir me comentou que sua mãe, dona Josefa teria indagado o filho de que as músicas gaúchas eram parecidas com o forró (lembrando que dona Josefa e seu França são dos pagos nordestinos e há muitos e muitos anos estão aquerenciados no Rio de Janeiro).

Baseado na indagação de Dona Josefa, mãe do Valmir Gomes, vamos trazer a diferença destes gêneros musicais:

Grupo típico de forró nordestino.
Créditos: http://www.banzoshows.com/artistas_nacionais/meirinhos-do-forro/
1 - Forró é um ritmo e dança típicos da Região Nordeste do Brasil praticada nas festas juninas e outros eventos. Diante a imprecisão do termo, não existe consenso quanto a definição musical do forró como estilo musical, sendo geralmente associado o nome como uma generalização de vários ritmos musicais daquela região, como baião, a quadrilha, o xaxado, que tem influências holandesas e o xote, que tem influência de Portugal. São tocados, tradicionalmente, por trios, compostos de um sanfoneiro (tocador de acordeão, que no forró é tradicionalmente a sanfona de oito baixos), um zabumbeiro e um tocador de triângulo. Também é chamado arrasta-pé, bate-chinela, fobó.

O forró possui semelhanças com o toré e o arrastar dos pés dos índios, com os ritmos binários portugueses e holandeses, porque são ritmos de origem europeia a chula, denominada pelos nordestinos simplesmente "forró", xote e variedades de polcas europeias que são chamadas pelos nordestinos de arrasta-pé e ou quadrilhas. A dança do forró tem influência direta das danças de salão europeias, como evidencia nossa história de colonização e invasões europeias.

Além do forró tradicional, denominado pé-de-serra, existe outras variações, tais como o forró eletrônico, vertente estilizada e pós-modernizada do forró surgida no início da década de 90 que utiliza elementos eletrônicos em sua execução, como a bateria, o teclado, o contrabaixo e a guitarra elétrica; e o forró universitário, surgido na capital paulista no final da década de 90, que é uma espécie de revitalização do forró tradicional, que eventualmente acrescenta contrabaixo e violão aos instrumentos tradicionais, sendo a principal característica os três passos básicos, sendo um deles o "2 para lá 2 para cá", que veio da polca.

Conhecido e praticado em todo o Brasil, o forró é especialmente popular nas cidades brasileiras de Campina Grande, Caruaru, Mossoró e Juazeiro do Norte, que sediam as maiores Festa de São João do país. Já nas capitais Aracaju, Fortaleza, João Pessoa, Natal, Maceió, Recife, e Teresina, são tradicionais as festas e apresentações de bandas de forró em eventos privados que atraem especialmente os jovens.

Vanerão é com Os Pampeiros - São José dos Campos (SP).
Crédito: www.conjuntomusicalospampeiros.blogspot.com
2 - Vanerão é um tipo de dança típica do Rio Grande do Sul. Assim como a vanera e a vanerinha, nasceu de origem alemã e se desenvolveu no Rio Grande Do Sul. Seu ritmo foi influenciado pela habanera, originada em Havana, Cuba, da mesma forma que vários outros encontrados nos países hispano-americanos, como o tango, o samba canção e o maxixe. 

De acordo com o andamento da música, têm-se as variantes vanerinha, para ritmo lento, vanera, para ritmo moderado, e vanerão, para ritmo mais rápido.

Ao lado do xote, do bugio e do fandango, tornou-se uma das danças mais populares do Rio Grande do Sul e dos outros estados da região sul, Santa Catarina e Paraná, devido à migração de gaúchos para outras terras.

Foi levada também a Mato Grosso do Sul pelos gaúchos que para lá partiram em busca de novas fronteiras agrícolas no século XX. Hoje pode-se encontrar grupos famosos responsáveis pelo ritmo na região centro-oeste.

O vanerão também conhecido como limpa-banco, tendo o andamento mais rápido do que a vanera, prestando-se ao virtuosísmo do gaiteiro de gaita piano ou botonera (voz trocada), sendo assim muitas vezes um tema instrumental. Quanto à forma musical, o vanerão pode ser construído em três partes (rondó), utilizado em ritmos tradicionais brasileiros como o choro e a valsa. 

Quando cantado, dependendo do andamento e da divisão rítmica da melodia, exige boa e rápida dicção por parte dos intérpretes. O Vanerão com sua vivacidade exige bastante energia, tantos dos músicos, como dos bailadores. Os passos do Vaneirão devem ser executados em quatro movimentos para cada lado, o conhecido dois para lá e dois para cá. 

Este chasque é do Valdemar Engroff, produtor e um dos apresentadores do programa Gritos do Quero Quero da Rádio Acácia FM 87,9.

Forró e Vanerão tem como fonte o sítio Wikipédia. Abra as porteiras em www.pt.wikipedia.org.