quinta-feira, 27 de março de 2014

Momento da Cultura Regional 11! Dia mundial do Meteorologista!

O tempo se armou de fato lá pra os lados do Uruguai! É desse jeito que a gente da campanha se comunica para dizer do clima, para denunciar quando vem chuva, tempestade. Os homens rurais no passado sabiam dos ventos pelas árvores, pela movimentação dos animais, sabiam do tempo pelas nuvens, viajavam meses com tropa mantendo o rumo pelas estrelas, como navegantes.

No presente alguns mantém essa sabedoria que virou ciência, hoje um satélite rastreia a estratosfera, manda informações para uma central que processa analisando os dados, realizando previsões precisas do clima, dizendo, por exemplo, quando, quanto e onde ira chover.

No passado os campesinos também faziam suas previsões e decretavam chuvas e secas, bombeando as nuvens do céu, mirando se no horizonte o sol se pôs na linha da terra ou sob nuvens, nesse caso é chuva certa no amanhã. Alguns ainda são peritos nessa arte. 
Hoje temos os meteorologistas, formados em cursos de faculdade que são experts na análise das imagens que os satélites mandam, tanto que a profissão ganhou um dia especial - O Dia Mundial da Meteorologia celebrado no dia 23 de Março. Essa data comemorativa foi instaurada no ano de 1961 por ser o aniversário de criação de Organização Meteorológica Mundial, instituição ligada à ONU e que existe desde o ano de 1950. Atualmente, essa organização possui a adesão de 189 países.
Como nos ensina o professor RODOLFO ALVES PENA, graduado em geografia, a meteorologia é a ciência que estuda a atmosfera e os seus fenômenos, sendo a responsável por estabelecer previsões e diagnósticos sobre o estado atmosférico em períodos relativamente curtos, ou seja, os meteorologistas direcionam seus apontamentos às questões relativas ao tempo atmosférico, diferentemente da climatologia, que estuda o clima.
A obra mais antiga que se tem notícia sobre essa importante área do saber é creditada a Aristóteles. Publicada em 340 A.C., o trabalho intitulado Meteórica realizava uma descrição sobre os diferentes elementos atmosféricos, envolvendo tanto as suas características predominantes quanto as suas dinâmicas. A expressão em grego “metéõros” significa “suspenso nos céus” e era o termo utilizado por Aristóteles para designar toda e qualquer partícula advinda da atmosfera ou que nela estivesse encontrada. Atualmente, o termo meteoro é exclusivamente utilizado para partículas sólidas, enquanto as partículas de água ou gelo são chamadas de hidrometeoros.
Dos instrumentos, podemos citar o higrômetro, criado ainda na Idade Média, o cata-vento de Leonardo da Vinci, o termômetro de Galileu Galilei e o barômetro de Evangelista Torricelli. Ao longo do século XX, a melhoria nas técnicas e a precisão dos dados, fato ocasionado, sobretudo, pela obtenção de imagens de satélite, vêm creditando à ciência meteorológica uma precisão cada vez maior, o que favorece as ações humanas e proporciona melhorias na qualidade de vida da sociedade.
No Brasil, por exemplo, centenas de pessoas morreram em julho de 1871 após uma tempestade ocasionar o naufrágio do Navio Apa, no litoral do Rio Grande do Sul. Esse episódio chocou todo o país e influenciou as autoridades a implementar uma rede meteorológica nacional a fim de melhorar o serviço no país que, até então, encontrava-se desestruturado.
A importância da meteorologia vai muito além de saber “se vai chover hoje”. Ela possui o mérito de enumerar dados sistemáticos sobre as alterações no comportamento da atmosfera ao longo do tempo, fornecendo informações precisas sobre as alterações climáticas ao longo dos anos e décadas. Além disso, é graças à meteorologia por seus instrumentos que adversidades climáticas são previstas e muitas tragédias são evitadas.
Para pensar: Tudo que Deus criou tem equilíbrio natural, por isso devemos preservar tudo para não haver desequilíbrios.
Fonte! Coluna Regionalismo desta semana, por Dorotéo Fagundes de Abreu.
Este chasque será utilizado no Programa Gritos do Quero Quero deste sábado, dia 29 de março de 2014, no Momento da Cultura Regional.