Terças - das 21 às 23h com Valdemar Engroff e Luigi Cerbaro
Sábados - 20h30 às 10h30min com Valdemar Engroff

terça-feira, 23 de março de 2021

Moradia Estudantil - a CEUPA precisa da tua ajuda!

 

Créditos! https://www.facebook.com/ceupaportoalegre
Gauchada do Rio Grande e de toda esta terra em redor! Tive a honra se passar por esta experiência - morar e uma casa de estudantes na década de 1980. A minha primeira experiência foi em São Leopoldo, onde morei na CEUL - Casa do Estudante Universitário Leopolndense

A segunda experiência foi no CEUPA, que na época era denominada de Centro Evangélico Universitário de Porto Alegre, onde morei de 1984 a 1986. Uma experiência rica, compartilhada com vários estudantes pré universitários e universitários, a maioria do interior do Rio Grande, de outros Estados, de outros países, principalmente sul-americanos e africanos (onde predomina a língua portuguesa).

Muitos destes estudantes estrangeiros, que moraram na instituição, continuam morando no Brasil. Formaram família e estão ganhando a sua vida em suas profissões. E muitos destes, além dos estudantes brasileiros, que ali foram acolhidos e ali moraram no tempo onde eram  "alunos da faculdade" estão comprometidos em dar a sua contrapartida - ajudar esta instituição.

Hoje recebemos o chasque (e-mail) abaixo, onde relatam a atual situação das três casas de estudantes da instituição, que precisam urgentemente de reparos...

Um baita quebra-costelas

Valdemar Engroff

.................................

Prezados(as) Ex-moradores e Amigos da CEUPA

A Casa dos Estudantes Universitários de Porto Alegre (CEUPA), é uma associação sem fins lucrativos, com autonomia administrativa e que, há mais de 70 anos, oferece moradia estudantil para universitários e pré-universitários, do interior do Estado do Rio Grande do Sul, de outros Estados brasileiros e demais localidades do mundo, sem distinção de raça, cor ou religião.

As três casas da CEUPA, localizadas no bairro Cidade Baixa, vem sofrendo os efeitos deletérios do tempo, bem como  pela falta de recursos para reformas e manutenção desse patrimônio que já ajudou inúmeros estudantes. Atualmente, devido às condições físicas das três casas, o número de vagas vem diminuindo, necessitando as casas de reformas urgentes, para assegurar moradia digna e segura e recuperar as vagas perdidas.

Moradores,  ex-moradores e Amigos da CEUPA, se reuniram de forma virtual, e estão trabalhando em conjunto na elaboração de Avaliações e Projetos de Reforma Emergencial, bem como de Projetos de Manutenção e recuperação das três casas.

Em razão disso, estamos realizando uma campanha de divulgação e captação de apoio financeiro.

Você que (re)conhece a importância destas casas na vida de inúmeros estudantes sem condições financeiras de se manterem em Porto Alegre, pode nos apoiar depositando qualquer valor na nossa conta poupança:

Banco: Caixa Econômica Federal 

Agência: 0441

Conta: 00011550-9

Operação: 013    

CNPJ: 92.979.293/0001-19

PIX:  92.979.293/0001-19 e ceupapresidencia@gmail.com

Por favor, envie o comprovante de depósito para o e-mail: ceupapresidencia@gmail.com ou, em último caso, pelo WhatsApp (51) 99595-7111 e nos envie seu nome e e-mail para que possamos lhe manter informado.

A atual gestão da CEUPA se compromete em enviar informações dos Projetos de reformas e divulgar relatórios das obras realizadas, bem como a prestação de contas tanto dos recursos levantados, quanto dos recursos gastos nas reformas e manutenção das casas.

Se você quiser contribuir de alguma outra forma, como por exemplo, mão de obra gratuita, material de construção, doação de móveis, entre outros, faça contato com o e-mail ceupapresidencia@gmail.com para conversarmos.

Desde já agradecemos a sua solidariedade com a moradia estudantil.

Visite a CEUPA:

1 - Página oficial na internet:  https://ceupa.com.br/

2 - No Sítio Facebook: https://www.facebook.com/ceupaportoalegre

3 - No Instagram: https://www.instagram.com/ceupa.oficial/


Atenciosamente,

Giorgio Bruno de Lucca e Gabriel Reis Kauffmann

Presidente e Vice-Presidente da Diretoria Executiva da CEUPA - Gestão 2021.

sábado, 20 de março de 2021

CTGs de Sapiranga levam o nome da cidade Rio Grande afora

Entidades tradicionalistas, como os CTGs Sentinela do Pago e Desgarrados da Querência, ajudam a escrever a história sapiranguense há pelo menos 20 anos, com prêmios e muita alegria

    Sapiranga – O CTG Galpão Sentinela do Pago teve suas primeiras atividades em dezembro de 1995, como Departamento de Tradições Gaúchas. Narcizo Ribas, juntamente com um grupo de tradicionalistas, fundou a entidade, que surgiu com o intuito de reunir jovens admiradores da tradição gaúcha. No início de suas atividades, um grupo de pais das invernadas criaram a 1ª patronagem do CTG, e, em 17 de setembro de 1997, filiaram-se como membros do Movimento Tradicionalista Gaúcho, iniciando assim suas atividades como Centro de Tradições Gaúchas junto à 30ª Região Tradicionalista.

    O ano de 1999 foi um marco para o Sentinela do Pago, pois o CTG recebeu, da Prefeitura de Sapiranga, uma área de terras localizada no bairro Amaral Ribeiro, onde futuramente seria edificado o Galpão da entidade. Em 2001, se inicia a construção da sede da entidade tradicionalista, cujas obras foram concluídas e o galpão inaugurado em 2006. O Centro de Tradições Gaúchas Galpão Sentinela do Pago, possui hoje um dos maiores e mais bem estruturados galpões da região, além de contar com uma biblioteca titulada “Nona Julia”, com uma série de livros e coletâneas tradicionalistas. Entre as atividades desempenhadas pelo CTG, destacam-se as invernadas de danças artísticas, grupo de chula e equipes de bocha campeira, que representam Sapiranga pelos quatro cantos do Rio Grande.

    Desgarrados da Querência

    CTGs estão sem realizar atividades desde o início da pandemia da Covid-19, em março de 2020

    O Centro de Tradições Gaúchas Desgarrados da Querência, fundado em 14 de janeiro de 1990, surgiu quando um grupo de amigos, Reni Severo dos Santos, Paulo da Luz, Célio Quines e Celso da Luz, em uma roda de chimarrão, decidiram iniciar um movimento em Sapiranga, com o intuito de reunir os tradicionalistas vindos de outras querências para, juntamente com eles e suas famílias, cultuarem as tradições de nosso Estado e difundirem estas às suas gerações futuras. Aos poucos, foram reunindo tradicionalistas e organizando pequenas reuniões que deram início a esta entidade, que hoje tem um grande prestígio no município, região e Estado.

    Entre essas reuniões, foram lançadas sugestões de nomes para a entidade que começava a engatinhar para um futuro próspero e duradouro. Foi aí que surgiu o nome Desgarrados da Querência, por ser uma entidade

    buscavam um lugar no qual pudessem resgatar o culto pelas tradições gaúchas que tanto amavam. O CTG Desgarrados da Querência tem um papel importante na 30ª R.T., pelo forte departamento artístico e cultural da região, participando em eventos estaduais, regionais e municipais, levando o nome de Sapiranga com muito respeito, desde sua fundação.

    Fonte! Chasque de Henrique Ternus, publicado no dia 25 de fevereiro de 2021 no sítio do Jornal Repercussão. Abra as porteiras clicando em https://www.jornalrepercussao.com.br/dia-a-dia/tradicao-gaucha-faz-parte-da-historia-ctgs-de-sapiranga-levam-o-nome-da-cidade-rio-grande-afora

Coluna Tradição e Cultura do Jornal A Semana de Alvorada (RS) - 20.03.21

 Artistas se reúnem em live beneficente

Um mutirão de solidariedade vai tomar conta das redes sociais neste sábado, em auxílio ao músico Miguel Bicca, que enfrenta problemas de saúde. Liderados pelo poeta Carlos Omar Vilella Gomes, 49 artistas participarão de uma live para arrecadar fundos afim de auxiliar no tratamento do cantor. Entre as atrações confirmadas: Luiz Marenco, César Oliveira, Joca Martins e Juliano Javoski.

Eles doaram seus palas para o leilão virtual a ser comandado pelo poeta e leiloeiro Rodrigo Bauer. Entre os itens a serem leiloados, estão ainda três cavalos crioulos e peças da griffe da cantora Shana Müller. A transmissão será feita pela página Repórter Farroupilha, no Facebook, a partir das 19h. O Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) do Rio Grande do Sul apoia a iniciativa. Mais informações com Carlos Omar (55) 99986-2283. Fonte! Sítio Facebook do MTG/RS.

E porque não o bandoneon no fandango?

Claudino Kuhn - Cia Animação Show - Cândido Godoi/RS
        Nos bailes gaúchos de antigamente (iluminados sob luz de candeeiro), os instrumentos que animavam a gauchada, com o surgimento do tradicionalismo organizado a partir da primeira ronda crioula capitaneada por Paixão Cortes em 1947, e o surgimento do primeiro CTG do mundo – o 35 CTG em 1948, foram a gaita, o violão e o pandeiro.

        Mas foram Os Irmãos Bertussi que em meados de 1950 incorporaram a segunda gaita e alguns anos depois, a bateria, que tinha por objetivo aumentar o som, pois não existiam microfones, a amplificação e nem as caixas de som, para os fandangos cada vez maiores em todo o interior gaúcho.

         Assim como nos fandangos em todo o Estado, Sul do Brasil e países vizinhos, a rainha do fandango é o acordeom. Alguns grupos de bailes têm também a tradicional gaita de botão, um instrumento de difícil execução e no meio gauchesco destaco Renato Borghetti, Gilberto Monteiro, Chico Brasil, entre outros.

         Em maio (2015) eu e minha mãe fomos pras Missões, onde voltamos pros pagos: Cerro Largo, Salvador das Missões e São Pedro do Butiá. Lá fomos num baile da terceira idade, animado por um grupo de Cândido Godoy (Cia Animação Show). Não era um grupo gaúcho, mas tocavam músicas dos nossos fandangos e o que me chamou atenção foi o bandoneon. Achei fantástico, simplesmente espetacular o jeito de tocar, o seu som e a animação que isso gerou no evento. Além disso. Tinha bateria eletrônica, instrumentos de sopro e órgão eletrônico.

         Imediatamente “viajei” para o passado distante, quando na década de 1970 ia aos bailes animados pelos Futuristas de Ijui, uma respeitável banda do estilo antigo, com bateria, baixo, guitarra, instrumentos de sopro, órgão e o bandoneon. Por isso não consigo entender por que este instrumento que é muito utilizado no Uruguai e na Argentina, nunca tive a honra e o prazer de vê-lo em execução num palco de um fandango em galpão de CTG.

         Em Porto Alegre eu vi Mano Monteiro, exímio bandoneoista tocando “Baile do Sapucay” e outras marcas do nosso cancioneiro e foi de arrepiar. Ainda não tive a honra de ver o exímio Carlito Magallanes e paramos por aí, pois o mercado musical para os bandoneoistas é muito restrito (existem outros fora do regionalismo gaúcho e sul americano). Mas quem sabe um dia alguém faz com o bandoneon o que Os Bertussi fizeram com a introdução do segundo acordeom e da bateria, introduzindo este belo instrumento nos fandangos e bailes gaúchos de todo o Rio Grande e em toda esta terra em redor. Este nosso chasque foi publicado na Revista de Bombacha, de Evandro Hoerle, em junho de 2015.

Valdemar Engroff

quinta-feira, 18 de março de 2021

Atração no próximo Programa Sacode na Rádio Acácia Web!


Gauchada do Rio Grande e de toda esta terra em redor.....🎙️📻🪕🥁... O Programa Sacode da próxima segunda-feira (22 de março) vem com Mestre Casagrande, da Unidos da Tijuca (RJ)... 

Não perde hein!! O Sacode vai ao ar todas as segundas das 21 às 23 horas aqui na nossa Rádio Acácia Web:

1 - no galpão virtual dos potreiros na internet - www.acaciafm.com.br 

2 - no App RádiosNet - https://www.radios.com.br/aovivo/radio-acacia-web/165600 

3 - no App e próprio da Rádio Acácia Web

4 - e na live em Facebook.com/radioacaciaweb

Curta a página do Programa Sacode nos potreiros do Facebook:  https://www.facebook.com/sacodeleopoldina
 
Rádio Acácia Web - aqui tem felicidade, a WEB da comunidade!  

segunda-feira, 15 de março de 2021

Alvorada adere ao movimento “Vacina Já”

Reunião pública virtual formalizou a ação e instituiu a coordenação municipal

Foto: Arquivo / OA

Iniciado em São Leopoldo, pela presidente da Câmara Municipal, vereadora Ana Affonso (PT), o Movimento “Vacina Já” chegou a diversos municípios gaúchos. Na noite de quinta-feira (11) representantes de entidades alvoradenses, sociedade civil e partidos políticos de esquerda realizaram uma reunião pública virtual com o objetivo de mobilizar a comunidade para garantir vacinas e consequente imunização à população.

O objetivo é pressionar os governos do Estado e Federal para obter medidas mais rígidas no enfrentamento à pandemia, “com destaque para a exigência de lockdown nos próximos dias, renda básica aos trabalhadores e compra de vacinas”, além de mobilizar e envolver as pessoas, promovendo um processo educativo de conscientização da gravidade do vírus e da importância do processo de vacinação.

Foram duas horas de reunião, que encerrou com a eleição da coordenação municipal e com o convite aos que queiram aderir ao movimento, entrem na mobilização.

A reunião contou com a presença do prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi (PT); da ex-prefeita de Alvorada e ex-deputada Estadual Stela Farias (PT); da vice presidente da Câmara Municipal, vereadora Giovana Thiago (PT); representantes de entidades como a União das Associações dos Moradores de Alvorada (Uama), presidente Vera Costa; Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alvorada (Sima), diretora Jaqueline Esteves; União Gaúcha dos Estudantes (Uges), secretário Lincon Fonseca; Diaconia São José Operário, coordenadora Elizabeth Cardoso; CTG Chilena de Prata, Vânia; Associação Amigos da Praça, presidente Jo Antoni; PT, presidente em exercício Josi Arruda; PCB, secretário Geral Rafael Mello, e PCdoB, Alex Martins, além de profissionais da saúde, representantes da segurança, educação, assistência social e da cultura. 

Fonte! Chasque (post) publicado no sítio oficial O Alvoradense, no dia 12 de março de 2021. Abra as porteiras nos potreiros da internet clicando em https://oalvoradense.com.br/alvorada-adere-ao-movimento-vacina-ja/

domingo, 14 de março de 2021

Coluna Tradição e Cultura do Jornal A Semana de Alvorada (RS) - 12.03.21

 MTG lança campanha "Viva a Nossa Tradição"


        O Movimento Tradicionalista Gaúcho do Rio Grande do Sul (MTG/RS) lançou nesta segunda-feira a campanha institucional  "Viva a Nossa Tradição!", que busca valorizar as1,7 mil entidades filiadas, alicerces do MTG, e reforçar a imagem delas para a retomada plena  das atividades, quando as medidas sanitárias permitirem. Os quatro vídeos, produzidos pela Eduardo Rocha Fotografia, retratam aquilo que há de melhor nos galpões de CTGs: o ambiente familiar, a responsabilidade social, a solidariedade e a geração de emprego e renda. A campanha é patrocinada pelo Sindicato das Indústrias de Produtos Suínos do Rio Grande do Sul.

 A frase "Viva a Nossa Tradição!", propositalmente, possui um duplo sentido: através dela, iremos, sim, celebrar tudo o que os nossos galpões nos proporcionam. Mas, além disso, queremos convidar a todos para que se juntem a esta grande família do tradicionalismo organizado, que venham conosco "viver" as nossas tradições", explica a presidente do MTG, Gilda Galeazzi.

Exibido nas redes sociais do MTG e disponibilizado aos veículos de comunicação e mídias sociais, o primeiro vídeo da série conta a história do educador Mateus Gomes Alves e a da esposa Elena, que se conheceram no CTG Gildo de Freitas, em Porto Alegre e hoje frequentam o CTG Gomes Jardim, em Guaíba (1ª RT). Desse relacionamento, nasceu a Alice, 9 anos.

"É um espaço de congregação e também de segurança para as nossas crianças, para que nossos filhos cresçam sadios, com acesso à cultura, a arte. O CTG é um lugar que acolhe", afirma Mateus, em relação ao ambiente proporcionado pelas entidades tradicionalistas. Os demais vídeos serão divulgados ao longo da semana. O compositor, cantor e instrumentista João Lucas Joca Cirne compôs o tema da campanha, interpretado pelo grupo Canto à Terra.

"Te convido a conhecer este mundo diferente onde a amizade e a consciência levam a cultura em frente", diz um trecho da composição, que será enviada a mais de 1 mil emissoras de rádio do Rio Grande do Sul, através do divulgador Álvaro Dias. A equipe da Eduardo Rocha fotografia também criou o logo que simboliza a campanha, formados por representantes de todos os segmentos do tradicionalismo organizado: campeira, artística, esportes  e cultural.

MTG lançou clipe em homenagem ao Dia Internacional de Mulher

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, o Movimento Tradicionalista Gaúcho do Rio Grande do Sul (MTG) lançou o clipe "É a Mulher Sempre a Brilhar", composto e produzido por Alci Vieira Jr, também responsável pelo violão, baixo, gaita e percussão.

Com artistas do segmento comercial e de musicais de invernadas de danças, o vídeo ressalta o protagonismo das prendas em qualquer ocasião, "trazendo consigo a ternura, sempre a brilhar". Participaram Alessandra Hoppen, Amanda Fischer, Analise Severo, Aninha Pires, Dyulha Melcheque, Fofa Nobre, Luiza Barbosa, Luiza Gomes, Maritza Duarte, Nicole Carrion, Patrícia Vargas, Priscila Olave, Tatiéle Bueno e Charlise Bandeira (flauta).

Nesta segunda-feira (08/03), às 21h, elas se apresentaram em um sarau de abertura da programação virtual criada pelo MTG para marcar a Semana Internacional da Mulher. As transmissões foram realizadas pelo Facebook e YouTube. Os chasques acima foram remetidos por Sandra Veroneze, da Assessoria de Imprensa do MTG.

Fonte! Chasque (coluna) semanal de Valdemar Engroff, publicado no Jornal A Semana de Alvorada, edição do dia 12 de março de 2021. 

 

Alvorada! Produção de flores!

Alvoradenses exportam seus produtos até para fora do país

Os moradores de Alvorada talvez ainda não conheçam, mas sim, por aqui existem produtores rurais que tem feito um belo trabalho, chamando atenção de compradores de outras cidades, estados, e até países. A família dos agricultores Paulo Ricardo e Vanessa Santos já cultivou verduras, trabalhou com produtos para a alta gastronomia, e há 8 anos plantam e vendem flores comestíveis aqui na cidade. Paulo e Vanessa desenvolvem um projeto de agricultura familiar em uma propriedade de 3 hectares, sendo que metade dela é usada para o cultivo de flores comestíveis, temperos e plantas medicinais.

O casal de agricultores recebe orientação técnica e social da Associação Riograndense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural. O trabalho feito pela EMATER-RS/ASCAR é realizado com o apoio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, que atua no licenciamento e na fiscalização ambiental.

O que Vanessa e Paulo produzem é distribuído em restaurantes, confeitarias de Porto Alegre e Viamão por meio da CEASA (Central de Abastecimento-RS), além disso, a venda de seus produtos é realizada no Mercado Público da capital, em casas de religião na região metropolitana, e recentemente já receberam pedidos de São Paulo e Portugal. Hoje são mais de 50 tipos de plantas produzidas pela família, como as flores comestíveis especiais, a flor do feijão borboleta azul e manjericões gourmet como a canela e o roxo. 

Fonte! Chasque (post) publicado nas páginas do Jornal A Semana de Alvorada (RS), edição do dia 12 de março de 2021. Também nos potreiros da Internet - http://www.jornalasemana.net/noticias/meio_ambiente/producao_de_flores/9304 

Ambiental Metrosul substitui mais de 1.3 mil hidrômetros no primeiro trimestre de operação

Este número é válido apenas para Alvorada e não para todos os nove municípios contemplados pela PPP

"Essa renovação do parque de hidrômetros na região metropolitana foi assumida pela empresa após a PPP" (Foto: Divulgação)
Conhecidos popularmente como relógios, os hidrômetros, que são certificados pelo INMETRO, medem o consumo de água nas residências. Contudo, com o passar do tempo, esses equipamentos sofrem um desgaste natural que compromete o seu funcionamento. Em três meses de operação, foram instalados 10,9 mil novos aparelhos nos nove municípios atendidos pela Ambiental Metrosul – através da PPP.

Em Alvorada, segundo a CORSAN, já foram 1.388 trocas efetuadas. Essa renovação do parque de hidrômetros na região metropolitana foi assumida pela empresa após a parceria público-privada (PPP) e a previsão é de que 250 mil equipamentos sejam substituídos até o segundo semestre de 2022. A instalação de novos hidrômetros é realizada rotineiramente pelas equipes da empresa e não gera custo adicional ao cliente.

Como parte da evolução tecnológica do parque de hidrômetros que a Ambiental Metrosul está promovendo, a partir de abril a empresa começa a implantar aparelhos de telemetria nos hidrômetros. Com isso, o Centro de Controle Operacional (CCO) da empresa poderá monitorar o funcionamento dos equipamentos em tempo real, agindo rapidamente quando identificar eventuais problemas que os hidrômetros possam

As equipes de serviços da Ambiental Metrosul atendem a uma média diária de 200 chamados que, além dos trabalhos relacionados aos hidrômetros, incluem manutenção das redes, reparos, limpeza e desobstrução de tubulações, fundamentais para o bom funcionamento do sistema de saneamento. Nos três primeiros meses de operação foram 4,5 mil atendimentos desse tipo nos nove municípios de atuação da empresa.

Ambiental Metrosul

Considerada a maior PPP de saneamento do país, a Ambiental Metrosul, parceira da Companhia Riograndense de Saneamento (CORSAN), foi constituída para fazer a coleta, tratamento e disposição final dos esgotos de Alvorada, Cachoeirinha, Canoas, Eldorado do Sul, Esteio, Gravataí, Guaíba, Sapucaia do Sul e Viamão, trazendo mais saúde e qualidade de vida a uma população estimada em 1,7 milhão de pessoas. 

Fonte! Chasque (reportagem) publicado nas páginas do Jornal A Semana de Alvorada (RS), na edição do dia 12 de março de 2021. Também nos potreiros da Internet - http://www.jornalasemana.net/noticias/meio_ambiente/ambiental_metrosul_substitui_mais_de_13_mil_hidrometros_no_primeiro_trimestre_de_operacao/9310

Rua 34 sofre com a falta de manutenção e Prefeitura não apresenta previsão para melhorias

Região foi visitada pelo Jornal A Semana em julho e a data estipulada para o tapa-buraco não foi cumprida

"Moradores esperam há pelo menos oito meses – data da última reportagem – por investimentos" (Foto: Guilherme Wunder)

Sempre que o Jornal A Semana vai as ruas para falar de problemas que os alvoradenses têm, existe a premissa básica de conversar com os dois lados da história. No caso de manutenção viária, sempre é conversado com alguém da Prefeitura para saber se existem perspectivas de manutenção. Contudo, existem ocasiões onde os prazos apresentados não são cumpridos. É o caso da Rua 34, no Jardim Algarve.

Histórico

Em julho de 2020, o Jornal A Semana percorreu diversas vias do Jardim Algarve. Umas delas era a Rua 34. Lá foi possível ver que os moradores que tapam os buracos com pedras e restos de obras. Segundo Leisa Vieira, também faz anos que a administração não aparece na região. Senão fosse os moradores, poderia haver acidentes ou carros quebrando devido aos buracos.

Na época, a dona de casa explicou que seria de suma importância que a Prefeitura viesse consertar os problemas. “Faz muito tempo que eles não arrumam. Faz 16 anos que moro aqui e, quando cheguei, era uma rua lisinha e sem buraco. Depois disso, nunca mais vieram aqui. Se tu reparares, tem restos de obras tapando os buracos. Nós temos que cuidar da nossa frente para não deixar a rua tão ruim”, justifica Leisa.

Depois de visitar o local, a reportagem conversou com o secretário de Obras e Viação (SMOV), Rogério Negreiros, que previu melhorias na região. “Nós estamos para assinar o contrato com a empresa que vai fazer o tapa-buraco. Isso deve acontecer nos próximos 15 dias e aquela região está no cronograma. Diversas ruas do Jardim Algarve serão contempladas”, afirmou o titular da pasta.

Oito meses depois...

Na terça-feira, 09/03, a reportagem do Jornal A Semana voltou ao local. Isso oito meses após a primeira visita. Contudo, ao chegar no local, foi possível averiguar que não houve nenhuma operação tapa-buraco desde a última visita. Além disso, conforme relatos de moradores, nenhuma equipe da Prefeitura realizou vistoria ou manutenção nos últimos meses.

Um dos moradores entrevistados foi Sergio Francisco, que lamenta o descaso com a região. “Sempre foi assim. Esse asfalto nunca foi concluído. Essa é apenas a primeira camada, mas nunca finalizaram a obra. Muitos dos remendos são os moradores que fazem com restos de obra. Seguido a gente vê motoqueiro se machucando aqui, porque está muito ruim”, enfatiza o servidor público.

Já Carlos Alberto conta que faz muitos anos que a Prefeitura não visita o local. Eu já pedi para vereadores virem aqui arrumar, mas o último que veio foi o Caibaté (risos). Infelizmente a gente sofre há anos com esse estado. Ninguém passa nem perto da nossa rua. Quando eles vêm, colocam uma brita e acham que está pronto, mas quem sofre com o descaso são os moradores que pagam seus impostos”, finaliza o aposentado.

Respostas do Executivo

A reportagem conversou novamente com o secretário de Obras e Viação (SMOV), Rogério Negreiros. Ele explicou que, devido a falta de orçamento, não foi possível realizar a manutenção da via no prazo estipulado. Segundo o titular da pasta, a ideia é promover a operação tapa-buraco na região assim que possível, mas não quis apresentar nenhum prazo para as melhorias. 

Fonte! Chasque (reportagem) publicado nas páginas do Jornal A Semana de Alvorada (RS), edição do dia 12 de março de 2021. Também nos potreiros da internet: http://www.jornalasemana.net/noticias/cidade/rua_34_sofre_com_a_falta_de_manutencao_e_prefeitura_nao_apresenta_previsao_para_melhorias/9306