Terças - das 21 às 23h com Valdemar Engroff e Luigi Cerbaro
Sábados - 20h30 às 10h30min com Valdemar Engroff

sábado, 3 de abril de 2021

Longe dos palcos, músicos buscam alternativas para se manter no mercado e superar a crise

Artistas do município seguem desenvolvendo trabalhos para se manter conectados com o público

"Eliandro Luz lançará nesse final de semana o seu novo videoclipe" (Foto: Divulgação)

Já faz mais de um ano que as atividades culturais estão interrompidas. Isso impacta diretamente na vida de quem trabalha com arte, como os músicos. Mas como se manter ativos no mercado e na mente do público? Esse o desafio que muitos dos cantores e compositores estão tendo que se adaptar para estarem prontos quando os shows forem retomados.

Raphael Rockenbach conta que a alternativa que encontrou foi investir no meio digital. Além de lançar a música ‘Acenda a Luz Pra Mim’, a banda trouxe anúncios, pré-saves e plataformas de divulgação. Contudo, por mais que a internet seja a solução encontrada, o compositor afirma que está esperando para lançar outros trabalhos devido a efemeridade que as coisas têm nas plataformas de streaming.

Por causa disso, o artista está esperando para lançar os outros trabalhos e trabalhar as novas canções. “É ótimo ter um planejamento, para não acabar lançando algo sem conseguir manter após o lançamento. Não podemos contar no momento com a volta dos shows, se todo mundo pensar assim, no momento de volta todos vão querer lançar algo, e aí será que o público estará disposto a ouvir?”, pondera Rockenbach.

Outro músico impactado pelo momento da pandemia é Leandro Berlesi. Ele conta que vive em um momento de aprendizado, mas que segue firme trabalhando com a sua arte. Além disso, o cantor acredita que somente os artistas bem organizados e que levam seu trabalho com seriedade vão conseguir sobreviver no mercado e isso impactará diretamente no número de artistas, agentes e outros profissionais do mercado.

Durante a pandemia, o cantor trabalhou em músicas com uma temática voltada ao momento em que o mundo está vivendo. Com isso, ele afirma que as produções diminuíram, mas não pararam. “Além das músicas por encomenda, que eram uma constante no meu trabalho junto aos CTG’s, voltei a compor músicas para um novo disco, que quero lançar até setembro deste ano”, relata o alvoradense.

O novo trabalho contará com 10 canções inéditas e será disponibilizado até o fim de setembro. “Vou lançar até setembro, com ou sem a volta das atividades. Sem dúvida, meu trabalho tem por objetivo promover minha atividade enquanto artista, nos palcos e afins, mas a pandemia não impede que tuas músicas toquem nas rádios, na TV e nas plataformas de streaming”, finaliza Berlesi.

Também dentro do meio tradicionalista, Eliandro Luz relata que a classe artística vem lutando há um ano por alternativas para sobreviver e existem muitos relatos de músicos tendo que se desfazer de seus instrumentos e ferramentas de trabalho para se manter. Além disso, muitos estão tendo que buscar empregos em outras áreas e encontram dificuldades para se inserir no mercado de trabalho.

Contudo, por mais que ele veja esse impacto, na pandemia lançou três músicas em sua carreira solo e uma com o Grupo Oh de Casa. “Minha opinião é que manter obras engavetadas é um desperdício de tempo, e um desrespeito com a obra. A obra nasce para habitar o mundo. E com certeza aquele artista que deixa de lançar novidades para seus fãs e amigos, corre o risco de cair no esquecimento”, justifica Luz.

Carlinhos Weiss, que é músico e produtor, conta que foi duplamente impactado nesse um ano. “Eu estava preparando o meu próximo álbum solo, mas quando veio a pandemia esse projeto parou. Infelizmente eu não vivo do meu trabalho autoral, mas sim como produtor. O problema é que esse mercado também foi afetado nesse período”, enfatiza o alvoradense.

Segundo ele, existem alternativas para se manter no imaginário das pessoas e o lançamento de músicas é importante para isso. Contudo, existe um debate sobre o custo de uma produção e isso precisa ser refletido. “O artista que tem trabalho autoral precisa estar sempre lançando músicas nos canais mais populares, independente da demora em ganhar com isso”, finaliza Weiss. 

Fonte! Chasque (post) publicado nas páginas do Jornal A Semana de Alvorada (RS), na edição do dia 02 de abril de 2021

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário